domingo, 25 de setembro de 2011

YEMMANDALA

*Galeria de imagens



O Graciano tem seguido um percurso ímpar na música, num contínuo processo evolutivo ascendente, que o catapultou desde as bandas de garagem na Camacha (onde ia buscar sonoridades mais pesadas e desgarradas, como o metal, com os Quantum Theory), passando depois por uma longa fase académica – onde se dedicou à música de uma forma mais erudita, ingressando no conservatório de música e na escola de jazz Hot Clube -, até à bossa nova, ou brasilian jazz, com os surpreendentes Yemmandala. Com uma forte influência de ambos os lados do Atlântico, os Yemmandala têm como referência nomes grandes da música, tanto de tendências brasileiras (Vinícius de Moraes, Chico Buarque; Tom Jobim, Rosa Passos ou Maria Betânia) como do jazz clássico (Ella Fitzgerald, Billie Holiday, Charles Mingus, Carmen McRae, Chet Baker, Nina Simone ou Sarah Vaughan).


"Tudo começou na procura do nosso som… de uma quimera com inspiração na transparência das águas da Deusa do Mar – Yemanjá. A Música tecia a cor no som, a luz no tom, criando uma mandala que une essências e consciências… Com Yemmandala este sonho despertou.
O percurso dos Yemmandala teve início em 2007 com o encontro de duas vozes femininas: Mariana Zenha e Mercês Figueiredo, colegas de curso da Escola de Jazz Hot Clube de Portugal. Ambas partilhavam a mesma paixão inequívoca pelo Brasil e em especial pela sua música. Dos clássicos de grandes compositores como Tom Jobim, Chico Buarque e Edu Lobo, surgiu a inspiração que levou à criação de temas originais de forma inesperada. Este entusiasmo foi contagiando outros músicos e da sua união surgiu esta nova sonoridade. Com o balanço da percussão e bateria de Miguel Moreira, o pulsar do contrabaixo de Fiuza Duarte, a subtileza da guitarra de Graciano Caldeira e as expressivas melodias do clarinete e saxofone de João Roxo, Yemmandala apresenta-se em uníssono na forma, no gosto e na abordagem.
Os Yemmandala distinguem-se pelo som original, sendo notória uma forte influência transatlântica, nomeadamente nos ritmos brasileiros, transparecendo a riqueza da música popular brasileira, do samba, do baião e da bossa-nova, com as cores harmónicas do jazz. Este som reside na união entre as palavras, a composição e os arranjos dando voz à poesia de uma forma subtil, leve e colorida.
Actualmente, a originalidade da formação do grupo, a riqueza das suas músicas, a diversidade de influências e sobretudo o tom singular e quente das suas actuações tornam os Yemmandala num projecto distinto no panorama musical."

Yemmandala


Sem comentários: