quinta-feira, 24 de julho de 2008

CAROL'S BROKEN CABLES


Os Carol’s Broken Cables foram uma banda formada em 2000, após um convite do Ricardo (Sora Temple) ao Bébio, para ir a um ensaio da banda que ele tinha na altura, que se chamava D-Tuned. Com este convite ficou decretado o inicio da mais estranha combinação pop rock da Camacha - que só viria a ficar completa com o aparecimento da Carolina (Sora Temple) -, que se pautava por ser a fusão de duas guitarras com uma bateria (preterindo o som ritmico do baixo por outra guitarra, o que conferia uma maior elasticidade e liberdade em termos de composição, quebrando regras estereotipadas pelo rock vintage - à boa maneira de uns Velvet Underground nos anos 60 -, libertando-se de um ritmo marcante, tipicamente conferido pelo baixo, e apostando nas melodias bipolares de ambas as guitarras, que ora se entrelaçavam, ora disparavam em direcções opostas). Apostando forte neste conceito sónico e noisy, de um rock arty, muito a lembrar o underground Nova-iorquino de uns Sonic Youth, os Carol’s Broken Cables foram a grande surpresa do Ant3na Rock 2001, onde conseguiram conquistar o 3º lugar. Por esta altura tocaram também no Arte Camacha, tendo sido a grande novidade da noite, surpreendendo o público com um espectáculo enérgico e abrasivo, onde os elementos da banda dominaram o palco em pura simbiose com as descargas de energia que emanavam das guitarras, suportadas pelo som compacto e brutal da bateria (a contrastar com a figura aparentemente frágil da baterista, precoce, de 14 anos, que se estreava pela primeira vez em palco, impondo o seu estilo inconfundível, qual Maureen Tucker, a sustentar o ruído cru e desgarrado das guitarras do Bébio e do Ricardo). Em 2003 voltam concorrer ao Ant3na Rock, atingindo o 2º lugar na final. Feitas as experiências com a formação pouco convencional da banda, os elementos do grupo resolveram partir para uma mudança, que viria a se concretizar com a entrada de um baixo, convidando o Evandro Amaro (Aboutowake), fazendo assim as pazes com o rock típico da “santíssima trindade”: baixo, guitarra e bateria. Apesar da nova construção musical dos Carol’s Broken Cables, se calhar devedora a fórmulas conceptuais mais abrangentes, como o Britpop, a banda, com os seu espírito criativo inconformado, detinha sempre uma postura - ainda que mais subtilmente -, pendendo para o lado experimental do rock, se bem que mais controlado, fazendo uso de samples, expandindo, desta forma, o universo sónico das canções. Com esta nova sonoridade veio a confirmar-se que a entrada do Evandro foi uma mais valia para a re-definição do som da banda, acabando por conferir um maior equilibrio no seio do grupo e uma maior expansão criativa.






























video
"Reveal"

video
"Shattered glass doll"

video
"Sue"
video
Entrevista (Programa "Splash", RTP Madeira, 2003)
Formação:
Bébio Amaro (Lavimpa, Yume, D-Tuned) - baixo e voz
Evandro Amaro (
Aboutowake, Yume) - guitarra, voz e percursão
Ricardo Andrade (
Sora Temple, Yume, D-tuned) - guitarra e sampling
Carolina Andrade (
Sora Temple) - bateria

1 comentário:

gracianocaldeira disse...

Parabéns! Aprecio muito o vosso trabalho, tenho pena que não tenho explorado outras saídas para a vossa música e que não tenham tido se calhar as hipoteses ideais.

Abraço, Graciano Caldeira