domingo, 30 de novembro de 2008

EAGLES 3

Eagles 3

Sabino (bateria), José "Navalha" (acordeão) e Egídio (guitarra).


Em 1968, quando os Beatles lançavam o polémico White Album e os Rolling Stones depediam-se do psicadelismo com o regresso aos Blues em The Beggars Banquet, por cá, em Portugal, os Quarteto 1111 "davam cartas", e a nível regional, os Conjunto Académico João Paulo eram uma referência com projecção a nível nacional. É neste contexto musical, a nível global, que os Camacheiros se estreiam nas lides do pop rock com a banda pioneira denominada “Eagles 3”.

Eagles 3

Egídio (guitarra), Sabino (bateria) e João Abel do "Asinha" (guitarra)

Tinha tido início a origem do rock nesta terra, curiosamente com o apoio eclesiástico que, através do padre Martinho (fervoroso apoiante de iniciativas musicais da paróquia) , solicitava e incentivava os jovens às lides da música. Os concertos eram sobretudo acústicos, ou semi-acústicos – amplificando os instrumentos com microfones e amplificadores -, devido às dificuldades em conseguir bom material para o concerto, causada pelas limitações impostas pela própria época. Apesar de efémeros – os Eagles 3 tiveram uma vida curta, mantendo-se na ribalta apenas entre 1968 e 1969, ano em que terminaram -, a semente do rock'n'roll estava lançada; a partir daqui, foi um crescendo e, até os dias de hoje, nunca mais pararam de aparecer projectos musicais.

Breve história das primeiras bandas camachenses
nas palavras de Egídio (Agosto de 2008)



EAGLES 3 (1968/1969)
Egídio (Incógnitos, The Pop Kings, Arte & Som) - Guitarra
Filipe Lucas - Guitarra
Sabino Santos - Bateria

1 comentário:

Evandro disse...

Afinal já há muito que esta terra anda de guitarra ao pescoço.
Nem sonhava com estas novidades. Parabéns pela recolha.